Rio de Janeiro / RJ - segunda-feira, 21 de maio de 2018

Mau hálito ou Halitose


Mau hálito ou Halitose


 

A Halitose ou (Mau hálito) afeta mais de um terço da população brasileira e não é considerada uma doença e sim um sinal ou sintoma de que algo no organismo está em desequilíbrio, que deve ser identificado e tratado.

Quem tem alteração no hálito normalmente não percebe devido a um processo chamado fadiga olfatória, onde o nosso olfato se adapta a um determinado odor, se ele for constante, para poder perceber novos odores e é por este motivo que quem tem Halitose crônica se acostuma ao seu hálito, o que o torna incapaz de notar o seu hálito alterado. Entretanto, quem tem o hálito alterado muitas vezes sente a boca seca e/ou amarga.

São conhecidas + de 60 causas para a Halitose. Ela pode ter origem bucal, origem nas vias aéreas superiores ou vir de dentro do organismo, chamada de origem metabólica ou sistêmica.

Entretanto, com relação aos casos de Halitose, a grande maioria é originada na boca (entre 90 a 95% dos casos).

O Mau hálito originado nas vias aéreas superiores corresponde de 3 a 8% dos casos.

Finalmente, a Halitos e originada de dentro do organismo equivale a apenas 1 a 2% dos casos, e portanto, casos de Mau hálito vindos do fígado, rins, intestino, e de inúmeras disfunções ou doenças e de outros locais do organismo, são muito + difíceis de ocorrer do que normalmente se imagina.

Assim, é importantíssimo esclarecer um grande mito e ressaltar que o estômago não provoca a Halitose crônica, ainda que normalmente seja responsabilizado pelo Mau hálito.

Os casos onde pode existir a presença do ar alterado vindo do estômago são através de arrotos ou junto aos episódios onde o refluxo gastro-esofágico ocorre, mas seu odor nestes casos tem uma característica ácida, bem diferente do tradicional cheiro de enxofre que a halitose crônica possui.

Importante: as diferenças nas porcentagens acima mencionadas foram em função dos diferentes estudos consultados.


As Causas frequentes:

A principal causa da Halitose é a saburra lingual, conhecida como língua branca ou língua saburrosa, sendo uma camada esbranquiçada que se forma no fundo da língua. As doenças da gengiva (gengivite e periodontite) são outra importante causa, sendo que junto a saburra língua representam as causas + significativas do Mau hálito de origem bucal.

A principal causa originada nas vias aéreas superiores são os cáseos amigdalianos, conhecidos por caseum ou tonsilolitos, que são diminutas bolinhas mal cheirosas formadas no interior das amígdalas.

Entre as causas principais vindas do interior do organismo, encontramos a o jejum prolongado que provoca a alteração no odor do hálito devido à hipoglicemia (nível baixo de açúcar no sangue) e a ingestão de alimentos odoríferos (capazes de alterar o hálito).

Em quase 100% dos casos de Mau hálito crônico de origem bucal (que equivalem a + de 95% do total dos casos), encontramos a presença da saburra lingual, e em boa parte destes, temos a presença dos cáseos amigdalianos, da gengivite e da periodontite.

Um detalhe importante em mencionar é que apesar dos cáseos amigdalianos terem sua origem nas vias aéreas superiores, o Mau hálito que eles provocam tem manifestação bucal, pelo fato das amígdalas se localizarem na orofaringe, entre a boca e a faringe.

Em casos de sangramento gengival, deve-se procurar um Dentista para que ele identifique e trate o motivo do sangramento, pois este é o primeiro sinal de alteração gengival, podendo ser um indicativo da presença da gengivite e/ou periodontite.

Como mencionamos acima, a causa + importante e frequente do Mau hálito é a saburra lingual. O controle eficiente da saburra lingual está diretamente ligado ao efetivo controle e prevenção da Halitose. Desta forma, é fundamental uma técnica de limpeza da língua que seja eficaz e adequada, pois o aspecto principal no controle do Mau hálito é a limpeza da língua.

 

Como obter os melhores resultados com o uso dos produtos:

As principais causas que ocasionam o desenvolvimento da saburra lingual e dos cáseos amigdalianos são o aumento da descamação de pedacinhos minúsculos de pele das bochechas e lábios, além dos níveis considerados normais, e a produção salivar diminuída, ou ainda pelos 02 motivos citados.

Pacientes atendidos com produtos Halitus, utilizando os produtos para limpeza da língua e o enxaguatório, detectamos uma acentuada melhora nos resultados obtidos, que já eram bastante satisfatórios.

Assim, notamos que ao utilizarmos o enxaguatório para higiene bucal e higiene das amígdalas e garganta, percebemos além de uma significativa diminuição na formação dos cáseos, uma diminuição também da saburra lingual, o que já havia sido demonstrado na pesquisa com o enxaguatório Halitus.

Notamos também que com uma eficiente limpeza da saburra lingual com os produtos Halitus, conseguimos um efetivo resultado no controle dos cáseos amigdalianos.


Tratamento da Halitose x Uso de Produtos

A alteração do hálito pode ser resolvida com eficiência pelo uso de produtos, mas é importante descobrir o que se encontra por trás desta alteração.
Desta forma, é adequado fazermos o diagnóstico e tratamento das causas da formação saburra lingual e dos cáseos amigdalianos, duas das causas mais importantes da halitose.

Outro aspecto muito importante é tratar as alterações de comportamento que comumente acompanham o Mau hálito. Estas tornam quem possui o problema + retraído e inseguro e com baixa autoestima, sendo fundamental em determinados casos, tratar também as alterações comportamentais decorrentes da Halitose.

Para tratar adequadamente estas alterações comportamentais, existem profissionais especializados; entretanto, a manutenção dos resultados depende do paciente seguir a risca as instruções fornecidas no Tratamento.

Dicas de como prevenir o mau hálito:

- Fazer uma ótima higiene bucal, incluindo a limpeza de sua língua e o uso de Enxaguatórios, comprovadamente eficiente para prevenção e controle do Mau hálito.


- Evite espaços maiores que 03 ou 04 horas entre as refeições;

- Beba de 02 a 03 litros de líquidos por dia;

- Para quem possuir próteses totais ou removíveis, limpá-las após cada refeição, utilizando, de preferência, uma limpeza com escova e produtos especiais;

- Não usar enxaguatórios com álcool;

- Evite consumir alimentos de odor carregado em excesso;

- Evite o consumir em excesso bebidas alcoólicas ou café, em especial se estiver passando por muito estresse ou ansiedade;

- Procure um Dentista se houver qualquer sinal de sangramento em sua gengiva.

- É importante aprender a técnica de higiene bucal correta e detalhada com seu dentista, com escovas específicas para uma higiene avançada, ou ainda, com escovas interdentais.

 

 

Fonte: www.halitofresco.com.br