Rio de Janeiro / RJ - terça-feira, 02 de setembro de 2014

Bloqueio do Ramo Direito(BRD)

 

BLOQUEIO DO RAMO DIREITO


1. CONCEITO:


Bloqueio completo ou incompleto da condução do estímulo pelo ramo direito do feixe de His.

O nó sinusal ou sinoatrial  é o marcapasso natural do coração . Neste local inicia-se um impulso elétrico que flui sobre os átrios direito e esquerdo (câmaras cardíacas superiores), fazendo que estes se contraiam.O sangue imediatamente será deslocado para os ventrículos (câmaras cardíacas maiores e inferiores).Quando o impulso elétrico chega ao nó atrioventricular (estação intermediária do sistema elétrico),este impulso sofre um ligeiro retardo.

Em seguida, o impulso dissemina-se ao longo do feixe de His, o qual divide-se em ramo direito (direcionado para o ventrículo direito)  e  ramo esquerdo (direcionado para o ventrículo esquerdo).Em seguida, o impulso atinge os ventrículos, fazendo com que estes se contraiam (sístole ventricular), permitindo a saída de sangue para fora do coração. O ventrículo esquerdo ejeta o sangue para o cérebro, músculos e outros orgãos do corpo humano. O ventrículo direito ejeta o sangue exclusivamente para a circulação do pulmão, para que este sangue seja enriquecido com oxigênio.

O bloqueio do ramo direito é a interrupção total do impulso elétrico neste ponto do sistema elétrico do coração. Esta anormalidade pode estar associada ou não  a uma doença estrutural do coração. Isoladamente, o bloqueio do ramo direito não costuma causar prejuízo ao funcionamento do coração, não limita a prática de exercícios físicos ou afeta a evolução de uma gestação. 


2. ETIOLOGIA:


-   Processos   do  septo   interventricular   na   parte   mais   superior
(calcificação, infecção);
- Lesão valvular aórtica;
- Lesão valvular tricúspide;
- Hipertensão arterial sistêmica;
- Doença arterial coronariana;
- Doença de Lev;
- Miocardiopatias;
- Defeitos congênitos do septo interventricular;
- Comunicação interventricular;
- Doença de Chagas;
- Como complicação de um infarto agudo do miocárdio, indicando mau
prognóstico.


3. CARACTERÍSTICAS ELETROCARDIOGRÁFICAS:


- Presença de complexos rsr’ (fig.), rsR’ ou rSR’ em V1 ou V2. Sendo a onda R’ habitualmente maior que r;
- QRS com duração igual ou superior a 0,12s;
- Onda S alargada em V6 e D1, com duração maior que a onda R ou
maior que 40 ms em adultos.

 

 

Figura: Registro eletrocardiográfico, derivação V2, de um paciente de 23
anos, sexo masculino, assintomático. A alteração morfológica no complexo
QRS é de padrão rsr’, que é observado no bloqueio de ramo direito.


4. COMPLICAÇÕES:


Por si só, o bloqueio de ramo direito, não é considerado cardiopatia.


 

Critérios eletrocardiográficos

Bloqueio completo do ramo direito do feixe de His

São critérios eletrocardiográficos para o Bloqueio completo do ramo direito do feixe de His.

  1. Duração do complexo QRS maior ou igual a 120 ms;
    1. A ausência deste critério, com a presença dos demais configura o Bloqueio incompleto do ramo direito do feixe de His
  2. Presença de ondas S empastadas em D1, aVL, V5 e V6;
  3. Presença de complexos qR em aVR com R empastada;
  4. Presença de complexos rSR’ ou rsR’ em V1 com R’ espessado;
  5. Eixo elétrico médio de QRS variável, tendendo para a direita;
  6. Onda T assimétrica em oposição ao retardo final de QRS.